Se durante a simulação dos seus sistemas, os resultados obtidos não corresponderam às expectativas ou se o sistema simplesmente não funcionou, então é hora de correr atrás do prejuízo.

Se o sistema foi comprado de terceiros, tente contatá-los imediatamente para comunicar-lhes o problema e cobrar soluções. Caso a empresa fornecedora não exista mais, então o problema é bem mais sério. Neste caso, você deve abandonar o seu sistema atual e comprar um novo, que ofereça garantias contratuais contra o bug do milênio. Esta empresa deve lhe prestar suporte para fazer a migração de um sistema para outro.

Isso não quer dizer que para as empresas de software ou mesmo que para grandes empresas, que desenvolvem os seus sistemas internamente, o problema não seja sério. Elas certamente terão um grande trabalho pela frente.

As pessoas mais indicadas para resolver o bug são justamente aquelas que desenvolveram os sistemas. Isto por que é necessário refazer partes dos programas onde o tratamento de datas gerará erros. A solução consiste em aumentar o espaço reservado para o ano, de dois dígitos para quatro. Isso pode parecer simples, mas não é. Este procedimento é demorado e dificil.

Vejamos um exemplo simples. Imagine um sistema cuja a única função seja a impressão de um cartão de aniversário para clientes que constam num cadastro. Semanalmente é executada uma rotina que imprime o cartão personalizado para os aniversariantes da semana seguinte. O trabalho para resolver o bug neste sistema consiste das seguintes etapas: 1 - O arquivo que contém os dados dos clientes deve ser redimensionado, alterando-se o espaço reservado para o ano de nascimento de 2 para 4 dígitos. 2 - Os dados que já estavam armazenados precisam ser adaptados para o novo formato, ou seja, eles devem ser  "convertidos" para 4 dígitos. 3 - A tela em que os dados dos clientes novos são digitados deve ser alterada para permitir a digitação do ano com 4 dígitos. 4 - A rotina que grava a informação no disco deve ser adaptada a fim de gravar a data com o ano completo. 5 - A rotina que lê o arquivo com os dados dos clientes e compara as datas de nascimento com a data atual, selecionando somente os aniversariantes, precisa também ser revista. 6 - A própria impressão do cartão deve ser alterada para que a data apareça no cartão com seu formato completo. 7 - Feitas todas as alterações é necessário testar cada item para se ter certeza que foram corretamente acertados.

Ainda está achando moleza ? Então imagine um banco que abre e fecha contas diariamente, faz emprestimos com diferentes prazos de pagamento, aplica o seu dinheiro com retorno de 1, 30 ou 60 dias em fundos ou CDB's, faz transações com ações da bolsa de valores, compra títulos do governo com vencimento em diferentes datas, emite extratos mensais, emite informe de rendimentos, debita automaticamente sua conta de luz, gás ou telefone sempre na data certa, fornrce cheque e controla sua movimentação diária, e, como se não bastasse tudo isso, ainda te manda um cartão no dia do seu aniversário.

Lembre-se que a coisa é muito mais complexa. As transações deste nosso banco com os demais bancos, com as bolsas de valores, Banco Central, administradora de cartões de créditos, receita federal e outras instituições é feita na maioria das vezes eletrônicamente por sistemas de computador que se comunicam. Isso quer dizer que TODOS devem se adaptar. Se uma única ponta dessa rede não se preparar para o ano 2000, outras instituições também serão prejudicadas.